close
Ana Claudia Oliveira da Silva

Ana Claudia Oliveira da Silva
Publicado dia 03 de set de 2021 às 10:00

Sobrevivendo ao ambiente amazônico: o papel do H+ leak como mecanismo antioxidante

Autora: SUSANA BRAZ MOTA Posição: Estudante de Doutorado – PPG BADPI Financiamento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)/INCT-ADAPTA II

Sobrevivendo ao ambiente amazônico: o papel do H+ leak como mecanismo antioxidante

                                           O oxigênio é um elemento de fundamental importância para a manutenção da vida multicelular, dada à sua alta eficiência no processo de geração de energia nas mitocôndrias. Apesar disso, muitos ambientes aquáticos da região Amazônica apresentam concentrações extremamente baixas de oxigênio dissolvido, as quais muitas vezes são acompanhadas por oscilações, diárias e sazonais, na concentração desse gás. Sobreviver nesse ambiente exige que muitos peixes desenvolvam adaptações mitocondriais especializadas. Tais como redução na demanda de energia e ativação de mecanismos que promovem o vazamento de prótons por meio da membrana interna da mitocôndria, processo conhecido como H+leak Durante a reoxigenação a entrada abrupta de oxigênio no sistema é capaz de gerar grande quantidade de especies reativas de oxigênio (ROS), as quais são altamente prejudiciais  para as biomoléculas. Recentemente, o H+leak tem sido descrito para alguns grupos animais, como um importante mecanismo antioxidante, podendo atuar  no processo de neutralização do ROS. Assim, o trabalho em questão busca avaliar como eventos de hipóxia e reoxigenação afetam a função mitocondrial de indivíduos adultos e juvenis de Astronotus  ocellatus (Foto 1), os quais possuem diferentes níveis de tolerância à hipóxia ao longo da ontogenia, bem como investigar se a alta tolerância à hipóxia está associada ao mecanismo de ativação do H+leak.