close
Ana Claudia Oliveira da Silva

Ana Claudia Oliveira da Silva
Publicado dia 17 de set de 2021 às 11:00

O efeito da concentração de oxigênio na tolerância térmica em peixes de respiração aérea facultativa: mudanças fisiológicas e comportamentais

Autora: MAYARA CRISTINA MORAES DE LIMA Posição: Estudante de Mestrado – PPG-BADPI Financiamento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES/INCT-ADAPTA II

O efeito da concentração de oxigênio na tolerância térmica em peixes de respiração aérea facultativa: mudanças fisiológicas e comportamentais

                             O nicho ecológico das espécies pode ser determinado por fatores ambientais como a temperatura e a concentração de oxigênio e, mais atualmente, tem sido empurrado aos limites por efeitos de mudanças climáticas. Frente às variações nessas condições, as espécies aquáticas amazônicas desenvolveram, e têm buscado desenvolver, mecanismos evolutivos que as permitam sobreviver a períodos de baixas concentrações de oxigênio e altas temperaturas, como é o caso da respiração aérea. Diversos estudos demonstram que a tolerância térmica é determinada pela capacidade de entrega de oxigênio para os tecidos pelo sistema cardiorrespiratório. Entretanto, é importante entender o papel que tais mecanismos têm na manutenção dos limites térmicos sob a perspectiva da respiração aérea. Nesse seminário analisarei o efeito da hipóxia sobre a tolerância térmica e os mecanismos fisiológicos e comportamentais de Pterygoplichthys pardalis (Foto), uma espécie amazônica com uma capacidade de extrair oxigênio do ar.