close
Ana Claudia Oliveira da Silva

Ana Claudia Oliveira da Silva
Publicado dia 03 de set de 2021 às 10:00

Impacto da alta temperatura, CO2 e infecção parasitária sobre a inflamação, imunodepressão e morte celular programada em Colossoma macropomum no nível transcricional

Autora: JAQUELINE CUSTÓDIO DA COSTA Posição: Estudante de Doutorado – PPG-GCBEv Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico –CNPq/INCT ADAPTA, CAPES/DFATD Chamada n°. 34/2017

Impacto da alta temperatura, CO2 e infecção parasitária sobre a inflamação, imunodepressão e morte celular programada em Colossoma macropomum no nível transcricional

                                 O aquecimento global representa uma ameaça aos ecossistemas, afetando a biodiversidade em todos os níveis, incluindo os peixes, causando efeitos negativos que vão desde a imunidade e susceptibilidade a doenças até a sobrevivência. Um dos principais parasitas que causa surtos de doenças e perdas econômicas em sistema de cultivo pertence a classe Monogenea. E assim, como outros peixes cultivados, o tambaqui Colossoma macropomum é altamente infectado por monogenea (Foto 1). Neste estudo, buscamos entender como o sistema imune de tambaqui reage a infecção parasitária durante dois tempos de exposição a cenários de mudanças climáticas e dois graus de parasitismo. Analisamos a expressão de nove genes relacionados à imunidade e os resultados revelaram que, após sete dias de exposição ao cenário climático RCP8.5 (drástico), os animais enfrentavam inflamação sistêmica, imunodepressão, apoptose e piroptose, confirmando que a intensidade de parasitismo aumentada pelo cenário de mudanças climáticas é responsável por distúrbios no sistema imune do hospedeiro.